PROJETO
Egon Schaden:
organização do acervo para a preservação do legado e da memória


RESUMO

Com objetivo de organizar, salvaguardar e tornar público o acesso ao Arquivo Egon Schaden, patrimônio material de reconhecido valor histórico-social, este projeto propõe inventariar, catalogar, indexar e acomodar de forma adequada seu acervo por profissional especializada, além de organizar e publicar os dados do arquivo em um catálogo digital. O referido arquivo é composto por 17 mil volumes de obras raras e documentos de valor inestimável para a ciência brasileira e para as populações que foram alvo de pesquisa do professor e antropólogo Egon Schaden, como descendentes de alemães e grupos indígenas de Santa Catarina e do Brasil. Há manuscritos originais e não publicados sobre estas populações neste arquivo, produzidos por ele em parceria com seu pai, Francisco Schaden, e outros/as pesquisadores/as. Embora tenha sido doado ao Instituto Egon Schaden (IES) pela família em 2014, o arquivo é mantido fechado e guardado de forma não adequada, correndo riscos de deterioração. São 600 caixas de livros, periódicos, jornais, documentos, correspondências em língua portuguesa, alemã, guarani, tupi e outros idiomas e manuscritos elaborados ou adquiridos pelo antropólogo durante sua vida (1913-1991), remanescentes de sua biblioteca e arquivos pessoais, sendo considerada até sua morte em 1991, a biblioteca mais completa de Antropologia do Brasil. Somente a partir de sua abertura e organização, será possível realizar a digitalização do arquivo, facilitando e ampliando seu acesso, e criação de um centro de pesquisas científicas sobre as trajetórias dos professores Francisco e Egon Schaden, sobre colonização alemã e culturas indígenas em Santa Catarina e sul do Brasil, e outros temas relacionados.


Acesse o Link do projeto (COMPLETO)