PRÊMIO ELISABETE ANDERLE

PROJETO
Egon Schaden: organização do acervo para a preservação do legado e da memória.
RESUMO

Com objetivo de organizar, salvaguardar e tornar público o acesso ao Arquivo Egon Schaden, patrimônio material de reconhecido valor histórico-social, este projeto propõe inventariar, catalogar, indexar e acomodar de forma adequada seu acervo por profissional especializada, além de organizar e publicar os dados do arquivo em um catálogo digital. O referido arquivo é composto por 17 mil volumes de obras raras e documentos de valor inestimável para a ciência brasileira e para as populações que foram alvo de pesquisa do professor e antropólogo Egon Schaden, como descendentes de alemães e grupos indígenas de Santa Catarina e do Brasil. Há manuscritos originais e não publicados sobre estas populações neste arquivo, produzidos por ele em parceria com seu pai, Francisco Schaden, e outros/as pesquisadores/as. Embora tenha sido doado ao Instituto Egon Schaden (IES) pela família em 2014, o arquivo é mantido fechado e guardado de forma não adequada, correndo riscos de deterioração. São 600 caixas de livros, periódicos, jornais, documentos, correspondências em língua portuguesa, alemã, guarani, tupi e outros idiomas e manuscritos elaborados ou adquiridos pelo antropólogo durante sua vida (1913-1991), remanescentes de sua biblioteca e arquivos pessoais, sendo considerada até sua morte em 1991, a biblioteca mais completa de Antropologia do Brasil. Somente a partir de sua abertura e organização, será possível realizar a digitalização do arquivo, facilitando e ampliando seu acesso, e criação de um centro de pesquisas científicas sobre as trajetórias dos professores Francisco e Egon Schaden, sobre colonização alemã e culturas indígenas em Santa Catarina e sul do Brasil, e outros temas relacionados.

EDITAL SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIO/A N.02/2020

EDITAL N.02/2020 – IES HOMOLOGAÇÃO DA INSCRIÇÃO E CONVOCAÇÃO PARA ENTREVISTA SELEÇÃO ESTAGIÁRIA

EDITAL N.02/2020 – IES – RESULTADO FINAL SELEÇÃO ESTAGIÁRIA

BOLETIM INFORMATIVO N. 3

Saiba sobre as atividades do Projeto realizadas no mês de setembro de 2020

As atividades do projeto “Egon Schaden: organização do acervo para a preservação do legado e da memória” foram realizadas no mês de setembro de 2020 sob a coordenação técnica da Bibliotecária e Secretária do Instituto Egon Schaden, Bianca Mara Souza, com o apoio da estagiária Mirela Schmoeller Nienkoetter.

Neste mês, foi priorizado o trabalho de abertura das caixas, higienização e catalogação dos periódicos, além da reorganização das caixas com livros e periódicos nas estantes. A estagiária Mirela teve oportunidade de aprender e realizar o trabalho de catalogar os periódicos no sistema Pergamum junto com a bibliotecária Bianca. Desta forma, foi possível agilizar o processamento técnico dos periódicos, bem como o retorno dos títulos higienizados e catalogados nas caixas.

A coordenadora Bianca informou que até setembro foram abertas 381 (de 600) caixas com livros e periódicos e higienizadas quase 12 mil obras (de 17 mil). Quanto ao processamento técnico, a equipe classificou, indexou e catalogou, até o momento, 2.120 obras. A equipe mantém o ambiente organizado, o que facilita o controle dos espaços, dos documentos e das atividades para as futuras tomadas de decisões.

BOLETIM INFORMATIVO N. 2

Atividades do Projeto realizadas em agosto de 2020 


As atividades do projeto “Egon Schaden: organização do acervo para a preservação do legado e da memória” foram intensas no mês de agosto de 2020 na coordenação técnica da Bibliotecária e Secretária do Instituto Egon Schaden, Bianca Mara Souza, e apoio da estagiária Mirela Schmoeller Nienkoetter. O trabalho tem sido realizado com recursos do Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura/Patrimônio Cultural – Edição 2019 (FCC/SC) e seguiu todos os protocolos de segurança. Neste mês, que foi bastante frio e chuvoso, foi finalizado o trabalho de abertura das caixas e higienização dos livros; feita a triagem dos periódicos; re-organização dos livros nas estantes; organização das obras datilografados e documentos manuscritos; separação e seleção dos documentos e encaixotamento dos livros e periódicos duplicados e os que deverão ser encaminhados para a restauração.

Em agosto, a equipe iniciou o processamento técnico dos periódicos. De forma muito feliz, os primeiros periódicos catalogados foram da Revista de Antropologia, uma publicação do Departamento de Antropologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo – FFLCH/USP. Esse é o primeiro periódico de Antropologia do Brasil e foi fundado pelo professor Egon Schaden em 1953 com objetivo de divulgar e discutir temas, resultados de pesquisas e modelos teórico-metodológico próprios da Antropologia, em suas diversas áreas e interfaces com disciplinas.

BOLETIM INFORMATIVO N. 1

Egon Schaden: organização do acervo para a preservação do legado e da memória

Com o intuito de organizar, salvaguardar e tornar público o acervo do professor Egon Schaden, patrimônio material de reconhecido valor histórico-social, o Instituto Egon Schaden iniciou em janeiro de 2020 a realização do projeto: “Egon Schaden: organização do acervo para a preservação do legado e da memória”, com recursos do Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura/Patrimônio Cultural – Edição 2019, promovido pela Fundação Catarinense de Cultura do Estado de Santa Catarina.

O acervo, contendo cerca de 17.000 títulos, sendo em sua maioria livros e periódicos científicos, foi inventariado na década de 1990 pelo bibliotecário Geraldo Magela Gonçalves e encaixotado em 600 caixas. Após quase 30 anos e graças aos recursos do Prêmio Elisabete Anderle, o trabalho de abertura das caixas iniciou em fevereiro de 2020 na coordenação técnica da Bibliotecária e Secretária do IES, Bianca Mara Souza e apoio das estagiárias e estudantes de Ensino Médio, Isadora Mayer Abreu e Mirela Schmoeller Nienkoetter.

As principais ações realizadas foram higienizar todos os livros, periódicos e demais documentos encontrados, além da separar as obras que necessitarão de reparo ou restauro. Posteriormente, se iniciou o processamento técnico de classificação, indexação, catalogação e gerenciamento do acervo por meio do software Pergamum, além de executar e coordenar o inventário para manutenção e controle do acervo bibliográfico.