INSTITUTO EGON – IES

 

O Instituto Egon Schaden (IES) é uma entidade civil sem fins lucrativos criada em 04 de julho de 2014 na cidade de São Bonifácio, região da Grande Florianópolis, Santa Catarina. O instituto nasceu inspirado na proposição do professor João Baptista Borges Pereira com objetivo de guardar o espólio científico do professor Egon Schaden (1913-1991) bem como a missão de somar esforços para a pesquisa sobre a colonização alemã no sul do Brasil e questões indígenas a ela relacionadas. Desde sua criação, o IES buscou desenvolver atividades e programas que fomentem as políticas de cultura, assegurando a preservação e promoção da valorização do patrimônio cultural, material e imaterial do Município de São Bonifácio. O resgate da trajetória pessoal de Egon Schaden e de seu pai, Francisco Schaden, como contribuição à preservação da memória da colonização alemã na região e da história da antropologia no Brasil, constitui-se como a missão imediata do instituto. A escolha de São Bonifácio, terra natal de Egon Schaden, para a sede da instituição resulta da intenção de tornar a cidade um ponto de encontro de diferentes pessoas e instituições interessadas no tema bem como aproximar o legado científico de Egon Schaden da comunidade local.

O IES realizou diversas atividades em parcerias de cooperação com a Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Associação Brasileira de Antropologia (ABA) e Prefeitura Municipal de São Bonifácio. Até o momento, o IES recebeu apoios da Fundação de Amparo à Pesquisa em Santa Catarina (FAPESC), do Governo do Estado de Santa Catarina, da Assembleia do Estado de Santa Catarina (ALESC), da Fundação Catarinense de Cultura, entre outros.

Todos os anos são realizadas, em São Bonifácio, Assembleias do Instituto Egon Schaden, intercalando Assembleias Gerais e Assembleias Anuais. A primeira Assembleia Geral foi realizada no dia 04 de julho de 2014, quando foi fundado o Instituto Egon Schaden.

 

 

OBJETIVOS DO INSTITUTO

 

O Instituto Egon Schaden – IES tem por finalidade principal abrigar o Arquivo Egon Schaden, preservar e ampliar o seu legado, e articular atividades com o propósito de incorporar a memória e trajetória de Egon e Francisco Schaden ao patrimônio cultural de São Bonifácio abrigar o Arquivo Egon Schaden, preservar e ampliar o seu legado, e articular atividades com o propósito de incorporar a memória e trajetória de Egon e Francisco Schaden ao patrimônio cultural de São Bonifácio zelar pelo legado do professor Egon Schaden com o propósito de incorporar a memória e a trajetória de Egon e Francisco Schaden ao patrimônio cultural de São Bonifácio buscando promover, coordenar ou executar ações e projetos visando:

I – a guarda e conservação do Arquivo Egon Schaden devendo este arquivo tornar-se um depositário de relíquias familiares que assim poderão ser disponibilizadas para a pesquisa científica;

II – a promoção de intercâmbio entre entidades congêneres nacionais e internacionais;

III – o resgate da memória da colonização alemã na região de sua abrangência;

IV – o desenvolvimento da pesquisa científica relacionada à colonização alemã e à obra do professor Egon Schaden;

V – a edição e publicação de literatura relacionada à consecução dos seus objetivos; e

VI – a realização de eventos científicos que desenvolvam a temática de seu interesse.

Observação: Para a consecução de seus objetivos o Instituto Egon Schaden – IES poderá, ainda, nos termos deste estatuto, celebrar todos os tipos de instrumentos jurídicos, como acordos, contratos, convênios e outros, que sejam necessários à consecução dos seus objetivos institucionais. Poderá também executar projetos, programas, planos de ação correlatos, por meio do recolhimento de doações de recursos físicos, humanos e financeiros relativos ao desenvolvimento de seus propósitos.

 

 

HISTÓRICO DO INSTITUTO EGON SCHADEN

 

Dia 04 de julho de 2013 – Realização de Sessão Especial da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina na data em que se registra o centenário de nascimento do antropólogo catarinense, Egon Schaden. A presença das diversas autoridades acadêmicas como Antônio Candido assegurou a repercussão do evento em nível nacional e internacional. Trata-se de Antônio Cândido (crítico literário, sociólogo e grande amigo de Egon Schaden – participou à distância com o recurso de depoimento gravado em São Paulo pelos organizadores do evento), João Baptista Borges Pereira (antropólogo e professor emérito da Universidade de São Paulo), Roque de Barros Laraia (antropólogo e professor emérito da Universidade de Brasília), Julio Cézar Melatti (antropólogo e professor emérito da Universidade de Brasília) e Carmem Sílvia Moraes Rial (antropóloga e presidente da Associação Brasileira de Antropologia/ABA, mandato 2013-2014).

Dias 25 e 26 de julho de 2013 – Realização do Seminário Cem Anos de Egon Schaden na terra natal de Egon Schaden, cidade de São Bonifácio, com objetivo principal de comemorar o centenário de seu nascimento. O evento foi proposto pela Associação Brasileira de Antropologia/ABA e organizado pela Prefeitura Municipal de São Bonifácio, Universidade do Estado de Santa Catarina/UDESC, Universidade Federal da Fronteira Sul/UFFS e Universidade Federal de Santa Catarina/UFSC. Cerca de 500 pessoas estiveram presentes em diferentes momentos do evento.

Dia 25 de julho de 2013 – Lançamento da Comenda São Bonifacence Egon Francisco Willibald Schaden, criada pela Câmara de Vereadores de São Bonifácio.

Dia 04 de julho de 2014 – Realização da Primeira Assembléia com objetivo de fundar o Instituto Egon Schaden-IES, na cidade de São Bonifácio, região da Grande Florianópolis, Santa Catarina. O instituto nasceu inspirado em proposição do professor João Baptista Borges Pereira com objetivo de guardar o espólio científico do professor Egon Schaden (1913-1991) bem como a missão de somar esforços para a pesquisa sobre a colonização alemã no sul do Brasil e questões indígenas a ela relacionadas. O resgate da trajetória pessoal de Egon Schaden e de seu pai, Francisco Schaden, como contribuição à preservação da memória da colonização alemã na região e da história da antropologia no Brasil, constitui-se como a missão imediata do instituto. A escolha de São Bonifácio, terra natal de Egon Schaden, para a sede da instituição resulta da intenção de tornar a cidade um ponto de encontro de diferentes pessoas e instituições interessadas no tema bem como aproximar o legado científico de Egon Schaden dos seus familiares. Quase uma centena de pessoas estiveram presentes no evento, dentre elas moradores de São Bonifácio, familiares de Egon Schaden, acadêmicos e autoridades.

Dia 04 de julho de 2015 – Realização da Primeira Assembléia do Instituto Egon Schaden – IES, em São Bonifácio, Santa Catarina.

Dia 04 de julho de 2015 – Realização da Primeira Reunião Científica do IES em São Bonifácio, Santa Catarina. A reunião foi coordenada por Pedro Martins (UDESC), contou com a presença do prefeito municipal de São Bonifácio, Laurino Peters, do diretor do Colégio São Tarcisio, da diretora do Instituto Brasil Plural, Esther Jean Langdon, associados do IES e pessoas da comunidade. Foi realizada a Mesa Redonda – “Instituto Egon Schaden: perspectivas científicas” com a participação da professora Ellen F. Woortmann (UNB), Rosane S. Preuss (PMSB/IES), Verena M. Buss (EEB São Tarcísio/IES, Tânia Welter (UFSC/IES).

Entre agosto de 2015 e julho 2016 – Realização da pesquisa “Vestígios de Egon Schaden na terra de seus ancestrais” por Pedro Martins e Tânia Welter com recursos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Esta pesquisa foi realizada na Alemanha, com supervisão de Stefan Rinke, como parte do projeto “‘A expressão translúcida de Egon Schaden’ – imigração, território colonial e trajetória antropológica” (UDESC, 2015- 2020).

Dia 10 de setembro de 2016 – Realização da II Reunião Científica do Instituto Egon Schaden, em São Bonifácio. A reunião consistiu na mesa redonda sobre o tema “Egon Schaden e a cooperação científica com a Alemanha no Pós-Guerra (1952-1972)” apresentado em forma de conferência por Pedro Martins (UDESC) e Tânia Welter (UFSC) com a coordenação e moderação de Maria Dorothéa Post Darella (UFSC).

Dia 31 de agosto de 2017 – Realização do Café Antropológico com exibição e debate dos documentários: “Egon, meu irmão” (NAVI, 2010) e “Egon Schaden aos Cem anos” (Plural Filmes, 2013). Foi realizada também a mesa redonda “Egon Schaden e a presença da Antropologia brasileira na Alemanha” onde foram apresentados resultados da pesquisa realizada na Alemanha por Tânia Welter (UFSC) e Pedro Martins (UDESC). As atividades foram coordenadas pela professora Miriam Pillar Grossi (UFSC) e os temas foram debatidos pelo professor Oscar Calavia Sáez (UFSC). O evento, gratuito e aberto à comunidade, foi realizado no auditório do Bloco Amarelo do Centro de Artes da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), organizado pelo Núcleo de Antropologia Audiovisual e Estudos da Imagem (NAVI), Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades (NIGS) e Núcleo de Pesquisa em Práticas Sociais (NUPRA), em parceria com o Instituto Egon Schaden (IES).

Dia 16 de setembro de 2017 – Realização da III Reunião Científica do IES no Centro Temático da Terra em São Bonifácio, com o tema: “Egon Schaden como pai e professor”. A reunião foi coordenada pelo diretor científico Pedro Martins (UDESC) e contou com as presenças de Marina Schaden Couto e Érica Schaden. Como o professor João Baptista Borges Pereira (professor-emérito da Universidade de São Paulo) e o filho do professor Egon Schaden, Reimar Schaden, não conseguiram comparecer, foram exibidas suas entrevistas feitas em 2013 durante o evento o Seminário Cem Anos de Egon Schaden.

Dia 13 de julho de 2018 – Realização do pré-evento do 18º Congresso Mundial da IUAES intitulado “Egon Schaden na Antropologia do Brasil e Alemanha” na Universidade de São Paulo (USP/São Paulo) com a coordenação de Tânia Welter (IES) e Pedro Martins (UDESC/IES). Este evento foi realizado na universidade que acolheu a primeira cadeira de Antropologia da Comunicação no Brasil implantada pelo professor Egon Schaden após ter atuado como professor visitante, estabelecido redes de cooperação e ter dialogado com diversas universidades da Alemanha. O evento reuniu seu sucessor e último orientando, professor João Baptista Borges Pereira (professor-emérito da Universidade de São Paulo), sua colaboradora, professora Renate Viertler (professora da Universidade de São Paulo) e a antropóloga Birgit Mona Suhrbier (ex-orientanda do ex-aluno do professor Schaden na Alemanha, Mark Münzel), articulada através da pesquisa realizada por Pedro Martins e Tânia Welter. Birgt é curadora do Weltkulturen Museum (Frankfurt, Alemanha), que abriga a coleção de desenhos da população Guarani (Brasil) doada pelo professor Egon Schaden.

Dia 15 de julho de 2018 foi realizada em São Bonifácio a Experiência Antropológica “São Bonifácio, terra de Egon Schaden” como parte do 18th IUAES World Congress. Esta atividade foi coordenada por Tânia Welter e Rosane Schaden Preuss, com a participação de 31 pessoas participantes do congresso, residentes em 14 países. Estas pessoas tiveram a oportunidade de conhecer o legado de Egon Schaden (em destaque a visita ao Instituto e Arquivo Egon Schaden e ao Museu Prof. Francisco Schaden); aspectos patrimoniais e culturais da colonização alemã como arquitetura enxaimel, artesanato e gastronomia; paisagens naturais do município que recebeu o título de “Capital Catarinense das Cachoeiras”; dialogar com a população local e com produtoras de agricultura orgânica.

Dia 16 de julho de 2018 foi realizada a IV Reunião Científica do Instituto Egon Schaden na Universidade Federal de Santa Catarina como Painel Fechado do 18º Congresso Mundial da IUAES com o tema: “Arquivos Egon Schaden (1913-1991): trajetória antropológica e cooperação internacional”. Os eventos contaram com os/as seguintes conferecistas: Roque de Barros Laraia (Universidade de Brasília, Brasil), Pedro Martins (UDESC, Brasil), Birgit Mona Suhrbier (Weltkulturen Museum, Frankfurt, Alemanha) e Tânia Welter (IES, Brasil).

Dia 11 de dezembro de 2019 – Assinatura de convênio/cooperação com o Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina (IHGSC). A assinatura ocorreu durante a Sessão Solene Final do Ano Acadêmico e Social 2019 do IHGSC, realizada sede do IHGSC em Florianópolis/SC. A sessão foi presidida pelo presidente, Sr. Augusto César Zeferino, contou com a presença de membros efetivos, eméritos, beneméritos e honorários do IHGSC, presidentes e membros de Institutos Histórico e Geográfico de outras cidades de Santa Catarina e de outros estados do Brasil, de autoridades e representantes de instituições públicas e privadas, da presidenta da Fundação Catarinense de Cultura, Sra. Ana Lucia Coutinho, que representou o Governador do Estado de Santa Catarina, Sr. Carlos Moisés da Silva, de familiares, convidados e convidadas.

Janeiro de 2020 – Início de realização do projeto “Egon Schaden: organização do acervo para a preservação do legado e da memória”, contemplado no Edital de Concurso Público N° 059 /2019 Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura/Patrimônio Cultural – Edição 2019, com recursos da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), Governo do Estado de Santa Catarina. O projeto objetiva organizar, catalogar e indexar, no prazo de 12 meses (janeiro a dezembro de 2020), o Arquivo Egon Schaden, patrimônio material de reconhecido valor histórico-social, composto por 17 mil volumes de obras raras e documentos de valor inestimável para a ciência brasileira e para as populações que foram alvo de pesquisa do professor e antropólogo Egon Schaden, como descendentes de alemães e grupos indígenas de Santa Catarina e do Brasil.